Live Talk #1 – Greta Thunberg

Cartaz de divulgação do live talk com Greta Thunberg
Cartaz de divulgação do live talk com Greta Thunberg
Cartaz de divulgação do live talk com Greta Thunberg

English and Spanish below.

Nesse sábado, o Brasil dará um oi para Greta Thunberg!

A Live acontecerá no Instagram do Fridays for Future Brasil (@fridaysforfuturebrasil)

Estás pronto para um bate papo ao vivo entre o Fridays for Future Amazônia e @gretathunberg? Nesse sábado dia 04 de Abril, às 14h (horário de Brasília), vem conhecer um pouco mais sobre o movimento que abalou o mundo e saber como a Amazônia se insere na luta internacional contra a Emergência Climática!

Essa luta não é distante a nós, nos afeta mais do que você imagina! Às 14h desse sábado, junta-se a nós e à Greta Thunberg nesse bate-papo!

Chama teus amigos e vem falar com Greta também!

EN

Live Talk With Greta Thunberg and Fridays for Future Amazonia!

Are you ready for a live talk between Fridays for Future Amazonia and Greta Thunberg? This Saturday, 4 April, at 5PM GMT (2PM Brasília / 7PM Stockholm), come to meet the movement that emerged the world and learn how the Biggest Rainforest on Earth participates on that.

The fight against climate emergency is not away from us, it is an Internacional fight! Call your friends and come to talk with Greta too! At @fridaysforfuturebrasil ‘s Instagram!

ES

¿Estás listo para una conversación en vivo entre los Fridays For Future Amazônia y @gretathunberg? ¡Este sábado *4APR* a las *2PM* (hora de Brasilia), ven a conocer un poco más sobre el movimiento que sacudió al mundo y aprende cómo se inserta la Amazonia en la lucha internacional contra la emergencia climática!

Esta pelea no está lejos de nosotros, ¡nos afecta más de lo que piensas! ¡A las 2pm de este sábado, únete a nosotros y a Greta Thunberg en este chat!

*¡Llama a tus amigos y ven a hablar con Greta también!!!!*

*4APR/2PM – Brasília Time

Indigenous’ land invasion

A village in the Yanomami indigenous territory
A village in the Yanomami indigenous territory
A village in the Yanomami indigenous territory in the north of Brazil, close to the Venezuelan border. At least three groups of Yanomami are uncontacted. Photograph: Guilherme Gnipper Trevisan/Hutukara

Brazilian newspaper O Globo and british The Guardian, on march 23 and 24 this year, published an alarming story about the invasion of isolated indigenous lands in the Javari Valley, in the Amazon region, promoted by an american citizen called Andrew Tonkin, self-titled Missionary. This invasion has a high degree of logistics since, as the reports advance, the invader has a team, flashlights, weapons and even a helicopter. It is, therefore, nothing less than an organized crime, a supremacist act of cultural imposition, a clear violation of Brazilian laws.

 

    This situation is even more serious, because it is not only possible corruption of isolated communities protected by law, but also possible mass contamination due to the pandemic of the new Covid-19. This unreasonable and illegal attempt can lead entire communities to death.

 

The constitutional rights of the native people of Brazil are, day after day, being increasingly disrespected, including with government bodies that protect and ensure these rights, are being completely ignored. Mr. Tonkin has already been charged by the Public Prosecutor’s Office (MPF), Funai and Federal Police (PF) in two attempts to illegally invade indigenous lands. Last year, according to the newspaper O Globo, he entered the region where isolated communities live close to the Itacoaí river, west of Amazonas State, without authorization.

 

We publish this public release, internationally, to press the brazilian authorities to act immediately in the fight against this disaster. The time is a key-factor, we cannot, in any circumstance, allow this crime to happen. We claim for everybody who believes in the essential rights of the native communities, the autonomy right, the cultural right, the right to live, to protest against this absurdity. Our fight is, undoubtedly, international.

 

We demand immediate action, with the full force of the law, from the Brazilian Government.

 

Fridays for Future Amazônia

Fridays for Future Brasil

Famílias Pelo Clima – PFF Brasil

Denúncia: invasão à terras índigenas

A village in the Yanomami indigenous territory
A village in the Yanomami indigenous territory
A village in the Yanomami indigenous territory in the north of Brazil, close to the Venezuelan border. At least three groups of Yanomami are uncontacted. Photograph: Guilherme Gnipper Trevisan/Hutukara

O Jornal Brasileiro O Globo e o Inglês The Guardian, no dia 23 e 24 de março de 2020, veicularam uma notícia da mais alta gravidade sobre a invasão de terras indígenas isoladas no Vale do Javari, na região Amazônica, promovida por um cidadão americano autointitulado de Missionário, atendendo pelo nome de Andrew Tonkin. Essa invasão conta com um alto grau logístico, uma vez que, conforme avançam as reportagens, o invasor possui uma equipe, lanternas, armas e até mesmo um helicóptero. Trata-se, portanto, de nada menos que um crime organizado, um ato supremacista de imposição cultural, uma violação clara das leis brasileiras.

A situação é ainda mais grave, porque não só trata-se de uma possível corrupção de comunidades isoladas protegidas por lei, como também de uma possível contaminação em massa devido à pandemia do novo coronavírus Covid-19. Essa tentativa descabida e ilegal pode levar comunidades inteiras à morte.

 

Os direitos constitucionais dos povos nativos do Brasil estão, dia após dia, sendo desrespeitados cada vez mais, passando-se por cima inclusive de órgãos que possuem o dever legal de zelar por esses direitos. O senhor Tonkin já foi denunciado ao Ministério Público Federal (MPF), à Funai e à Polícia Federal (PF) em duas tentativas de entrar ilegalmente em terras indígenas. No ano passado, conforme consta o jornal O Globo, ele entrou sem autorização na região onde vivem comunidades isoladas perto do rio Itacoaí, oeste do Amazonas.

Com a gravidade da situação, o desrespeito explícito à Constituição da República Federativa do Brasil, à ameaça à cultura, e também à vida dessas comunidades, cobramos de todas as autoridades competentes medidas preventivas e combativas imediatas. Cada dia que passa sem uma resposta ativa das autoridades, significa um dia mais próximo de um desastre genocida.

Lançamos esse comunicado, a nível internacional, para pressionar as autoridades brasileiras competentes a agirem de forma imediata no combate desse desastre em andamento. O tempo é um fator chave, não podemos, em hipótese alguma, permitir que esse crime permaneça em andamento. Clamamos que todos aqueles que defendem os direitos básicos das comunidades nativas, o direito à autonomia, à cultura, e à vida, manifestem-se contra esse absurdo em curso. A nossa luta é, sem sombra de dúvidas, internacional.

 

Exigimos que o governo Brasileiro aja imediatamente, e dentro do rigor da lei.

 

Fridays for Future Amazônia

Fridays for Future Brasil

Famílias Pelo Clima – PFF Brasil

You Cannot Eat Money

You Cannot Eat Money
You Cannot Eat Money
Cena artística para o oitavo ato do FFF Amazônia

 

When the last tree has fallen

And the rivers are poisoned

You cannot eat Money, oh no.

The Seed – Aurora Aksnes (inspirado por um antigo provérbio)

 

VIII Ato do Fridays for Future Amazonia

por Abel Rodrigues

            Quando a última árvore cair, e os rios estiverem poluídos, tu não podes comer dinheiro, oh, não.

A pandemia do novo coronavírus levou e leva disrupção à diversos países no mundo. Colocou em quarentena toda a Europa, suspendeu a normalidade em Portugal com o Estado de Emergência e começa a ganhar força no Brasil. Isso mostra, a todos nós, o quão frágil é nosso sistema, e que no fim das contas, não importa o quão rico é um país, ele também estará sujeito às diversas forças da natureza.

A crise climática representa uma ameaça ainda maior, uma ameaça que colocará em quarentena a vida humana, até levá-la à extinção. Caminhamos, cada vez mais rápido, para o nosso fim. Não para o fim do planeta, esse existiu há bilhões de anos e viverá mais outros bilhões. Mas para o fim da espécie humana.

Travaremos guerra por comida, água, terras férteis. Nossos vizinhos tornar-se-ão nossos inimigos, e as famílias, as comunidades, a sociedade, deixará de existir.

A crise climática já mata, seja pelos desastres naturais, seja pelos assassinatos cometidos pelos mesmos que impulsionam essa catástrofe. Na Amazônia e não só, as populações nativas, os guardiões da floresta, são mortos, com a omissão ou o incentivo dos governos nacionais que compõem a maior floresta tropical do mundo.

Precisamos agir já! O novo coronavírus, graças aos esforços de nossos heróis, os médicos, cientistas, e todos aqueles que lutam para recuperar a estabilidade da nossa sociedade e da nossa vida. Mas contra a Emergência Climática precisamos de muito menos, porque sua vacina e sua cura já foram encontradas. Contra a Emergência Climática, precisamos apenas de uma coisa: que os governos, escutando a ciência, ajam, agora!

 

13 de Março de 2020: Sexta-Feira pelo Futuro em Belém do Pará

Ação em Belém

Ação em Belém

Alunos com cartazes sobre proteção ambientalEnglish version below

 

No sétimo ato do Fridays for Future Amazonia, alunos de escola pública em Belém, no Tapanã, apresentam cartazes com temáticas ambientais e pró-amazônia. A proteção da Amazônia é essencial para o combate à emergência climática e a salvação de todo o planeta. Sem a Amazônia, a luta contra a emergência climática será em vão.

 

Se és professor, és de Belém, e quer levar a pauta climática e ambiental, de maneira científica e responsável, para dentro da sua escola, junte-se ao projeto Aliança Pela Amazônia e faça um núcleo do Fridays for Future Amazonia na sua escola! Contacte-nos através do e-mail: email@amazonia.site

Veja no Twitter!

 

EN In its 7th act, Fridays for Future Amazonia prepared a dynamic presentation with students, about the protection of the Amazon Rainforest and the Environment in General. 

Ação em Belém
Alunos com cartazes sobre proteção ambiental
Ação em Belém
Alunos com cartazes sobre proteção ambiental
Ação em Belém
Alunos com cartazes sobre proteção ambiental

#SemAcordo – Acordo Mercosul-União Europeia

Cartaz da Campanha online #SemAcordo

#SemAcordo

Acordo Mercosul-União Europeia

You can read the English version below.

Cartaz da Campanha online #SemAcordo
Cartaz da Campanha online #SemAcordo

O Governo Federal vem seguidamente realizando ataques contra a Amazônia, sua fauna e seus povos. A Amazônia é a maior floresta tropical do mundo, e possui sua maior parte concentrada no território Brasileiro.

Em novembro de 2019, o desmatamento na Amazônia subiu 104%, e viu sete líderes índigenas assassinados no mesmo ano. Já esse ano, no primeiro mês de 2020, a Amazônia viu o desmatamento crescer em 74%.

Em mais de uma ocasião, integrantes do governo federal demostraram não se importarem com a calamidade vivida na Amazônia.  Amazônia vive um ecocídio, porque a natureza está sendo destruída completamente, e vive um genocídio, porque seus povos nativos estão sendo perseguidos constantemente. A Funai, órgão que deveria proteger esses povos, está sendo usada como arma do governo para a destruição de direitos básicos, está atropelando a constituição, e quando se atropela a constituição, se viola o estado democrático de direito.

Nos posicionamos, portanto, de forma muito clara: clamamos aos países membros da União Europeia que não financiem o genocídio e o ecocídio da Amazônia. Clamamos aos países da União Europeia que reprovem esse acordo, e que tomem posições fortes contra a destruição da maior floresta tropical do mundo!

Em um apelo para todos e todas, o Fridays for Future convoca todos aqueles que se importam com a Amazônia, sua diversidade biológica, sua fauna, flora, sua cultura e seus povos, a aderirem à campanha #SemAcordo, em todas as redes sociais. Façam parte dessa mobilização online: faça seu cartaz, poste em suas redes sociais e utilize a Hashtag #SemAcordo, #SOSAmazonia, #PelaAmazonia e a Hashtag internacional #DigitalStrike

 

 

06 de Março de 2020: Sexta-Feira pelo Futuro em Belém do Pará

Ação em Belém

Ação em Belém

Fridays for Future Amazonia: em Belém, os ativistas Abel Rodrigues e Fernanda Barros mobilizaram alunos para fazer uma aula diferente: uma aula sobre cidadania e preservação. Na semana que antecede a chamada global do Fridays for Future, alunos da Escola de Ensino Fundamental e Médio Rute dos Santos Almeida, em Belém, mostraram suas preocupações com o futuro do planeta. Acompanhe no Twitter!

FFF Amazonia
Alunos com cartazes sobre proteção ambiental
Alunos segurando cartazes com preocupações ambientais
Alunos segurando cartazes com preocupações ambientais
Ação em Belém
Alunos com cartazes sobre proteção ambiental

Alunos com cartazes sobre proteção ambiental

Não podemos comer dinheiro

Nossa casa está em chamas, e não estamos a fazer quase nada para evitar o colapso da humanidade. A emergência climática não é uma ameaça ao planeta, que já viveu muitas destruições em massa e viverá muito mais. A emergência climática é uma ameaça a nós, humanos. Estamos destruindo o único habitat no qual podemos viver. Estamos ameaçando o nosso futuro e o futuro das novas gerações. Precisamos nos mobilizar, alertar nossa sociedade e pressionar nossos governos: precisamos acordar! 

  • – Abel Rodrigues

Cartaz da Campanha

A Letter from Global South

A Letter From the Global South

Abel Rodrigues (Brazil)

Bhavreen Kandhari (India)

Fernanda Rodrigues (Brazil)

Grace Maddrell (United Kingdom)

Kaime Silvestre (Brazil)

Ruben Herrera (Cuba)

Vanessa Nakate (Uganda)

Unite Behind the Science and Together We Can Save Our Future

The fight we face today against climate emergency is a global fight. This is not a European fight or a North American fight. The only way to prevent climate collapse is by working together. We cannot just save a city, or a country. If this battle is lost, we will all lose. This is Planet Earth’s fight. This is humanity’s fight.

It is not a future problem. It is already happening. Countries are burning, political instability is rising, and conflicts are emerging. Is anyone really surprised by this? Humans have fought wars over gold, oil, even trade routes. Is it not easy to imagine a starving world where wars are fought over access to clean water and dry land?

Recently, the world has seen many young Europeans, and North Americans, challenging the status-quo, speaking up about the climate emergency, and being listened to by world leaders. Although the Global South is essential in the fight against climate emergency, those of us from there find it difficult to be heard. We are speaking up. But mostly the world cannot hear us.

Unfortunately, many of us live in countries with governments that try to silence us, to hide us, and to ignore us. But we from the Global South are already suffering from this. Our forests are burning. Our people are dying. And we are screaming.

Many of us do not have enough political freedom to challenge the system. But we are trying, I can guarantee you that. Of course, those of us in the southern hemisphere are not the only ones that some try to silence. In Russia, we saw Arshak Makichyan recently jailed for holding a Fridays for Future protest without permission. And in Davos, we saw Vanessa Nakate cropped out of a group photo with four other young climate activists.

Arshak’s and Vanessa’s experiences both had a silver lining: it raised awareness that, more than ever, all of us, no matter where we came from, must to work together. We need each other because we all live on the same planet; we are all humans and we are all sisters and brothers. We must all fight for a better future. And we must all fight for those of us fighting for a better today.

I implore you to hear the voices from Africa, from Asia, from Latin America. I beg you to hear the voices of those who are silenced… and to hear the screams of those who are quieted. We are stronger than we were yesterday, and together, we will become even stronger tomorrow.

Unite Behind the Science, and, together, we can save our future.